Agroindústrias concluídas

As duas usinas de beneficiamento de frutos do cerrado projetadas pelo Projeto Kalunga Sustentável, patrocinado pela Petrobras através do Programa Petrobras Desenvolvimento e Cidadania, foram concluídas, equipadas e entregues às comunidades beneficiadas, Ema no município de Teresina de Goiás e Barra no município de Monte Alegre de Goiás.

As obras de construção da usina de Beneficiamento de Frutos do Cerrado para produção de Alimentos, na Comunidade de Ema, em Teresina de Goiás, foram iniciadas no final do mês de fevereiro de 2013 ao mesmo tempo em que se iniciava um Curso de Capacitação para Pedreiros, Encanadores e Eletricistas, com membros da comunidade quilombola local. Foram 13 kalungas inscritos no curso ministrado em parceria com o SENAR (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) e o Projeto Kalunga Sustentável. Com esta iniciativa, parte da obra foi construída pelas mãos das próprias pessoas que vão usufruir de seu funcionamento.

Os 13 alunos quilombolas construíram em quatro dias de curso, parte das construções dos banheiros e vestiários anexos à obra da Usina, cujo projeto foi assinado pelo engenheiro de alimentos João Carlos Cruz e Ávila (CREA – MG 85427-D), atendendo às especificações e detalhes exigidos pela legislação sanitária. O professor do SENAR, Wendel Carrijo, encontrou na comunidade Ema alunos aplicados, entre 10 homens e 3 mulheres, que aprenderam técnicas de construção desde a fundação até colocação de telhado passando por instalações hidráulicas e elétricas. Após o curso, o construtor João Camargo assumiu o comando e concluiu a obra em junho de 2013.

Em agosto de 2013, outro curso de pedreiro, novamente ministrado em parceria com o SENAR, deu início à obra da segunda usina, concluída em setembro de 2013 e projetada principalmente para produção do sabão tradicional de tingui, matéria prima abundante na região da usina, localizada na comunidade kalunga Barra no município de Monte Alegre de Goiás.

A usina de beneficiamento de frutos do cerrado da comunidade kalunga de Monte Alegre de Goiás, que poderá produzir além do sabão tradicional, sabonete e outros cosméticos, foi planejada por Lourdes Cardozo Laureano e Jaqueline Evangelista Dias, ambas da Articulação Pacari, que também promove a geração de trabalho e renda junto às comunidades locais através do uso sustentável do Cerrado, desenvolvendo produtos fitocosméticos.

Durante a entrega das usinas para as comunidades beneficiadas também foram entregues equipamentos básicos para o beneficiamento dos frutos do cerrado, de acordo com as necessidades iniciais de cada usina, e também os planos de negócios elaborados pelo SEBRAE.

Deixe uma resposta