Curso de Cozinha Rural no Engenho II

Treze mulheres quilombolas da Comunidade do Engenho II, no município de Cavalcante, GO, participaram do Curso de Cozinha Rural oferecido pelo Projeto Kalunga Sustentável, patrocinado pela Petrobras, em parceria com o SENAR (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural). O curso aconteceu entre os dias 4 a 7 de março de 2013, nas novas dependências do Restaurante S&G, recém inaugurado pelos seus proprietários, Sr. Sirilo do Santos Rosa e Getúlia Moreira dos Santos.

O Curso de Cozinha Rural teve como objetivo a preparação de alimentos caseiros com produtos de origem rural e foi ministrado pela experiente professora Esther de Souza Garcia. Parte das alunas do curso já trabalha na comunidade oferecendo refeições em seus restaurantes ou lanchonetes e puderam aprimorar seus hábitos relacionados à segurança alimentar e aproveitamento dos produtos de maneira geral.

 

Da higiene à mesa bem posta

O conteúdo do Curso foi subdividido em oito etapas para o melhor aproveitamento das participantes nos quatro dias. Na primeira, a professora destaca a importância da higiene na manipulação dos alimentos, garantindo a saúde das pessoas que irão consumir a alimentação. Nesta etapa, são mencionadas as questões com higiene pessoal, ambiental, dos utensílios e dos alimentos; noções de saúde humana e doenças transmitidas por alimentos e seus sintomas; além de noções de microbiologia de alimentos com os agentes transmissores de doenças como bactérias (botulismo e salmonela), vírus, fungos e parasitas e as medidas gerais para o controle das DTAs.

No segundo dia de Curso, a professora Esther fixou o conteúdo de assepsia e sanitização, esclarecendo a diferença entre as duas. Foi ensinada a melhor maneira de preparar a solução sanitizante, a maneira correta de lavar mãos e antebraços, os cuidados com a água, com o solo (saneamento básico), o correto uso da bucha para evitar contaminação cruzada e segurança no trabalho. Neste mesmo dia, foram repassados conhecimentos sobre economia doméstica, como as vantagens do planejamento das compras e a importância da seleção dos alimentos através da validade e maturação.

 

Noções de organização

 

No terceiro dia de curso, foram ministradas técnicas de armazenamento dos alimentos em armários, prateleiras, geladeiras e freezers além de técnicas de conservação dos alimentos em nível doméstico como resfriamento, congelamento e descongelamento, salga e secagem. Neste dia, iniciou-se a elaboração de cardápios saudáveis e nutritivos, equilibrando a dieta utilizando os ingredientes do meio rural. Neste momento, foram identificados os alimentos e suas funções como alimentos construtores, energéticos, reguladores e funcionais. Também foram demonstradas a pirâmide alimentar e o balanceamento de nutrientes na combinação de pratos, passando pelo uso correto do sal, das gorduras e óleos.

No último dia de curso, a professora Esther deteve-se em preparar uma alimentação equilibrada, composta com todos os nutrientes que o organismo necessita para evitar problemas de saúde. Ela elencou os principais tipos de cozimento (água, vapor, pressão) e suas opções; classificou as saladas quanto à sua composição à base de proteínas, carboidratos e minerais; e estabeleceu as medidas recomendáveis por pessoa, evitando assim o desperdício ou a restrição.

 

Dicas de pesos e medidas

 

Neste dia também foram abordados temas como o uso correto de tábuas, facas e utensílios com ênfase em acidentes domésticos; e o aproveitamento integral dos alimentos. Na elaboração de quitandas, relevou-se a importância do uso de receitas, com dicas de pesos e medidas e, na segurança alimentar, a diferença e cuidados entre alergia e intolerância (celíacos, lactose, diabetes). Na conclusão do curso, a professora Esther salientou a correta maneira da lavagem dos utensílios, sua organização nos armários e o uso consciente da água.

No final de cada dia, as alunas degustaram os pratos confeccionados sob orientação da professora Esther Garcia, que ficou satisfeita com o aproveitamento da turma. “Elas reconheceram que têm muito a aprimorar nos seus lares e estabelecimentos comerciais depois do curso. Foi uma grande troca de experiências”, definiu a professora.

Com a execução do Curso de Cozinha Rural, o Projeto Kalunga Sustentável fecha seu ciclo de capacitações na área de alimentos, proposto no texto original do projeto, onde estavam previstas duas capacitações nesta área em um período de dois anos e foram realizadas cinco: Técnicas de cozinha, Aprimoramento de receitas com frutos do Cerrado, Conservas e compotas, Panificação Rural e Cozinha Rural.

Deixe uma resposta