Rede de Sementes do Cerrado

Reunião entre PKS e Rede Sementes do Cerrado

Uma nova parceria pode ser firmada entre o Projeto Kalunga Sustentável, sob patrocínio da Petrobras, e o Projeto “Semeando o Bioma Cerrado”, também patrocinado pela Petrobras Ambiental e ligado à Rede de Sementes do Cerrado. Os coordenadores de ambos os projetos reuniram-se no dia 20 de junho de 2012, na sede do Centro Espírita Aprendizes do Evangelho, para iniciar uma proposta de parceria visando solucionar problemas do Território Kalunga quanto à erosão, por exemplo.

A Rede Sementes do Cerrado é uma associação sem fins lucrativos que visa o fomento do comércio e a melhoria da qualidade das sementes e mudas das espécies nativas do Cerrado. Com isso, a Rede incentiva e promove a conservação e preservação do Cerrado, estudos e pesquisas além de promoção e exploração sustentada de plantas nativas. Aqui em Cavalcante, eles realizaram uma etapa do Projeto “Semeando o Bioma Cerrado”, oferecendo gratuitamente o Curso de Seleção e Marcação de Árvores Matrizes para um grupo de cerca de vinte interessados.

Primeiro encontro visando parceria

Curso de Seleção e Marcação de Árvores Matrizes

Entre uma aula teórica e outra de campo, os coordenadores do Projeto Kalunga Sustentável, Izabel Maia e André Praude reuniram-se com a coordenadora do Projeto “Semeando o Bioma Cerrado”, Magaly Wetzel para expor os pontos de convergência entre os dois projetos que visam a sustentabilidade dos endemismos do bioma. “Várias são as frentes em que poderemos atuar juntos. Só precisamos formalizar esse interesse mútuo de trabalhar pela preservação e qualificação das espécies nativas”, comentou Magaly, que é funcionária aposentada da Embrapa Cerrado.

Entre as possibilidades de atuação conjunta estão questões como a erosão crescente que ocupa trecho da entrada da comunidade do Engenho II. Outra frente que pode gerar parceria é a criação de um banco genético, com a identificação e marcação das árvores matrizes que rendem boas sementes dos frutos que serão beneficiados pelas usinas previstas no Projeto Kalunga Sustentável.

A usina que será construída na comunidade Ema, em Teresina de Goiás, beneficiará frutos do Cerrado para produção alimentícia. Já a usina prevista para ser erguida na comunidade do Tinguizal, em Monte Alegre de Goiás, produzirá cosméticos como sabonetes e óleos. “Com a qualificação das sementes, poderemos promover o plantio dos melhores exemplares das espécies nativas”, exemplificou Izabel Maia.

 

Deixe uma resposta