Projeto Kalunga Sustentável e ISPN

Planejamento e capacitação na comunidade quilombola de Ema/Teresina de Goiás – Sítio Histórico Kalunga.

O Projeto Kalunga Sustentável, uma realização da Associação Quilombo Kalunga com patrocínio do Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania, da Petrobras, tem recebido um importante apoio do parceiro Instituto Sociedade População e Natureza (ISPN) para a condução dos trabalhos na comunidade Ema/Teresina de Goiás, do Sítio Histórico e Patrimônio Cultural Kalunga, onde o principal objetivo é planejar o negócio da usina de beneficiamento de frutos que o Projeto irá construir naquela comunidade e capacitar os seus futuros trabalhadores.1

Nesse contexto, no dia 18 de dezembro de 2011, realizou-se uma oficina para discussão do potencial extrativista de frutos do cerrado na comunidade Ema. Estiveram presentes 20 quilombolas das comunidades de Ema, Limoeiro, Ribeirão e Diadema, todos do município de Teresina de Goiás, e os coordenadores do Projeto Kalunga Sustentável.

Potencial extrativista

Joaquim Castro

Quebrador do Côco do Baru

A oficina foi conduzida pela Engenheira Florestal M.Sc Jessica Livio Pedreira, Consultora do ISPN, que utilizou uma metodologia participativa para os trabalhos.

O objetivo principal da oficina foi de fazer um levantamento do potencial extrativista da região com foco no possível potencial produtivo para a usina que o Projeto Kalunga Sustentável construirá em Ema. Na sequência a essa dinâmica, os participantes dividiram-se em 2 grupos e foram a campo nas semanas seguintes para preencher as fichas com os dados das espécies do cerrado priorizadas durante a oficina.

Um mês depois, durante os dias 19 a 22 de janeiro de 2012, a comunidade Ema foi contemplada com a capacitação do “Programa de Assessoria entre Comunidades: Multiplicando Saberes e Sabores”, do ISPN, coordenado pela Enga. Ambiental Maiti Mattoso Fontana, Consultora do ISPN, que levou o Assessor Elias Freitas Mesquita para ensinar técnicas agroextrativistas e agroecológicas aos participantes do Projeto Kalunga Sustentável.

O treinamento foi elaborado com base nos resultados da oficina da Eng. Jessica Livio, que, na mesma ocasião da Assessoria do Elias, finalizou o levantamento extrativista iniciado em dezembro passado.

Compostagem

Instrutores e Alunos

Picles de Abobrinha

Conserva de Pimenta

Elias ensinou também algumas práticas de higiene e produção, assim como colaborou na definição dos futuros produtos da usina e na visão geral dos próximos passos a serem seguidos até a sua construção e manutenção. Durante o treinamento, estiveram presentes 23 quilombolas (das comunidades Ema, Limoeiro, Ribeirão e Diadema), a coordenação do Projeto Kalunga e a Consultora Maiti Mattoso Fontana – responsável por essa etapa piloto do Programa de Assessoria entre Comunidades, do ISPN.

Ao final da Assessoria, a consultora Maiti Fontana e o Assessor Elias Mesquita entregaram aos participantes riquíssimas publicações do ISPN, que servirão como referência bibliográfica para o planejamento e execução dos trabalhos da usina de Ema. Os conteúdos dos livros doados tratam sobre normas físicas, sanitárias e ambientais para agroindústrias comunitárias; gestão administrativa e financeira; receitas culinárias; e sobre boas práticas de manejo de vários frutos do cerrado, como o baru, pequi e buriti.

Turma do Curso

Plantio de Mudas de Baru

E assim, em clima de confraternização e muita energia positiva, os Kalungas finalizaram mais uma etapa de capacitação e planejamento para a sua usina de beneficiamento de frutos, apresentando a todos participantes e assessores sua dança tradicional sussa, como forma de bênção e agradecimento por todo aprendizado e amizade construída.

Os significativos trabalhos realizados com o apoio técnico do ISPN estão sendo essenciais para planejar e definir os próximos passos para o negócio de beneficiamento de frutos em Ema. Ainda há muito trabalho pela frente, e espera-se avançar nessa relevante parceria para que essas comunidades desenvolvam capacidades que gerem novas e melhores oportunidades de trabalho no Sítio Histórico e Patrimônio Cultural Kalunga.

Deixe uma resposta